Onze saíram de barco para Ilha Montão de Trigo.
No caminho um espetáculo da natureza, golfinhos acompanhando as duas embarcações.
Chegando a ilha, um mergulho num aquário gigante, dava para ver cardumes de peixes através dos óculos de natação.
Uma foto e uma oração no trapiche antes de iniciar a prova.
Após nadar 2 km, atravessamos a correnteza que arrastaria até São Sebastião.
Logo em seguida, estávamos nadando sobre o fosso de  2 km de profundidade.
Nessa altura, seguia meu companheiro de prova, George Silva, enxergando-o por baixo d’água devido a enorme transparência da mesma.
Aos 6 km, um vento contra dificulta a travessia para muitos nadadores, bem na direção da Ilha das Couves.
Nadávamos para o continente, mas o vento arrastava de volta para a Ilha Montão de Trigo.
Uma carona no barco de apoio até atravessar a arrebentação. Quando embarquei, ouvi o motor do barco gemer devido a correnteza e ventos fortes de Sudeste. Se o motor sentiu a força das ondas, imagine nossos braços.
Quando o mar acalmou, mergulhei para finalizar o desafio até a praia de Bora Bora, agradecido por esse dia inesquecível !